Novo FIES 2018: Entenda as regras e como irá funcionar

O FIES é a sigla para Fundo de Financiamento Estudantil, um programa criado através do Ministério da Educação, onde estudantes de escolas públicas e privadas podem financiar os cursos superiores de interesse, de acordo com avaliação positiva dos processos do Ministério da Educação.

Durante o período em que está fazendo a faculdade, o aluno paga parte ou nada das mensalidades sugeridas, e passa a pagar conforme o contrato, normalmente sendo após o término do curso superior.

O FIES vem desde 2015 cobrando uma taxa de juros de 6,5% ao ano, necessidade para contribuir com a sustentabilidade do programa, viabilizando a sua continuidade ao longo dos anos. Todos os anos o instituto realiza uma verificação no cenário econômico, para fazer um ajuste fiscal no programa.

Existe uma opção de financiamento, do qual conta com juros zero, para algumas classes de alunos.

O novo FIES 2018

No último dia 06, em uma coletiva de imprensa, o Ministério da Educação anunciou o novo FIES, que será dividido em três novas modalidades, com data para as mudanças já a partir de 2018. Segundo informações, este novo programa irá garantir 310 mil vagas, onde 100 mil estarão com juros zero, para estudantes que possuem uma renda familiar, menor do que três salários mínimos.

Segundo eles, o novo FIES passa a ser mais sustentável, efetivo e eficiente, focando nos mais carentes da população.

O grande destaque são os juros zero, para os estudantes que citamos acima. Eles poderão planejar o seu futuro, com base em suas dívidas, sabendo exatamente quanto irão pagar, após o término da faculdade. Onde em financiamentos com juros, os cálculos podem sofrer alterações, gerando incertezas no futuro.

O ministro da Educação, o Sr Mendonça Filho, citou a seguinte frase em entrevista: “O fundo irá gerar uma economia, somente em taxas bancárias, da ordem de R$ 300 milhões ao ano. Isso significa que, em dez anos, o Tesouro Nacional estará poupando de seis a sete bilhões de reais, que serão revertidos para a educação brasileira, atendendo a população mais pobre do nosso país”.

Com esta frase, Mendonça afirma que o histórico do programa é ineficiente e ineficaz, não sendo sustentável, e que logo deixaria muitos alunos na mão. O rombo fiscal dos últimos anos foi fundamental para as mudanças, visto que o quadro de inadimplência nos pagamentos chegou a quase 50%, envolvendo diversos fatores, principalmente a queda da economia.

Outro que criticou o modelo atual, sugerindo melhorias e um novo modelo, foi o secretário Mansueto Almeida. Segundo ele o programa tem um projeto bom, mas que possui um alto custo fiscal. Com ressalva ele disse que as novidades para o FIES 2018 foram pensadas e discutidas por um ano inteiro, onde o planejamento, metas e acompanhamento de um comitê gestor, foram fundamentais para chegar a um programa que será bom e interessante tanto para os alunos, quanto para as universidades e também para o governo federal.

As 3 novas modalidades do FIES 2018

Para 2018, o FIES trará três novas modalidades, das quais estaremos explicando um pouco mais sobre elas, a seguir:

A primeira modalidade faz com que o FIES funcione com um fundo garantidor, com recursos provenientes da União. Esta etapa irá oferecer 100 mil vagas por ano, com juros zero, para alunos com renda familiar de até três salários mínimos. Nela, o aluno irá começar a pagar suas prestações de acordo com a capacidade de renda e com os valores que não ultrapassem 10% de sua renda mensal. Entre as mudanças para esta modalidade, está o compartilhamento dos riscos do financiamento com as universidades privadas, onde no modelo atual, os riscos ficam concentrados apenas no governo.

Na segunda modalidade, o FIES terá como fonte, os recursos de fundos constitucionais regionais, para alunos com renda familiar de até cinco salários mínimos. Nesta modalidade serão cobrados juros baixos, e terão taxas sobre riscos de crédito. Ao todo serão 150 mil vagas para regiões Centro-Oeste, Norte e Nordeste.

Já na terceira modalidade do FIES 2018, o recurso será proveniente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e dos fundos regionais de desenvolvimento das regiões Centro Oeste, Norte e Nordeste. O financiamento será oferecido com juros baixos para estudantes com renda familiar de até cinco salários mínimos. Será ofertado 60 mil vagas em 2018. O MEC ainda está em discussão com o Ministério do Trabalho, para oferecer uma nova linha de crédito e garantir mais 20 mil vagas para esta modalidade.

As principais mudanças em relação aos anos anteriores

Algumas mudanças foram necessárias para que o FIES pudesse ser viável no próximo ano de 2018. A atual gestão realizou alterações no modelo de 2016, das quais garantem a manutenção do programa, onde o repasse a instituições privadas e também o pagamento de taxas bancárias sobre os novos contratos, são responsáveis por gerar uma economia de R$ 300 milhões por ano, podendo ser inclusive reaplicado no programa governamental.

Em apenas um ano, com as mudanças, foram garantidas 300 mil vagas no Fies, um número bem expressivo, que pode fazer toda a diferença em 2018.

Site oficial do FIES

Para saber sobre todas as mudanças do FIES 2018, acesse o site: http://sisfiesportal.mec.gov.br/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *